Vai tirar férias e está pretendendo levar o seu pet junto? Antes de mais nada, você precisa saber como fazer isso com segurança!

Se viajar com o seu pet estiver nos seus planos para as férias, saiba como proteger o seu amiguinho de quatro patas durante toda essa aventura que está por vir, para que ele possa aproveitar ao máximo esse período de férias. Aliás, vale lembrar que a prevenção é o melhor remédio de todos os tempos!

 

Quais cuidados devo ter para a viagem?

Realize um check-up no pet para garantir que ele está saudável. Viagens longas costumam ser desconfortáveis para cães e gatos, então é preciso verificar se o animal está apto a encarar o percurso. Vale lembrar que a ocorrência de náuseas e vômitos são comuns, e são resultados do stress elevado junto com o balançar do carro em movimento. Para minimizar as chances disso acontecer, evite alimentar o seu pet nos momentos que antecedem o início da viagem.

Caso esteja pretendendo usar medicamentos sedativos para tornar a viagem mais tranquila ao seu pet, busque a orientação de um veterinário. Medicar por conta própria pode ser perigoso para a saúde animal, portanto é fundamental que siga as recomendações de um veterinário.

Caso a viagem seja feita através de ônibus rodoviários ou transporte aéreo, pesquise sobre as exigências da empresa para o transporte de animais. As exigências variam de empresa para empresa, mas a solicitação de um atestado feito por um médico veterinário garantindo que o animal está preparado para encarar o trajeto é essencial em qualquer empresa. Além disso, também é preciso estar com a carteira de vacinação do pet atualizada.

Planeje paradas ao longo da viagem. Se possível, realize paradas de no máximo 2 em 2 horas para que seu pet possa fazer suas necessidades, beber água e se exercitar um pouco. Como dito anteriormente, ficar muito tempo imóvel dentro do carro é extremamente desconfortável para o pet.

Se o destino da viagem for para uma região com clima ensolarado, atente-se à temperatura do chão antes de levar o seu pet para passear ao ar livre. Embora as “almofadinhas” das patas dos pets sejam resistentes, é recomendado que evite levar o seu pet para passear em horários em que o sol está mais forte, e priorize o fim da tarde, quando o sol está mais ameno.. Queimaduras nas patas infeccionam com mais facilidade, o que pode arruinar o seu momento de lazer com o seu pet.

Espalhe potes de água pelo ambiente. Durante viagens, passeios e brincadeiras é necessário fazer uma parada para a hidratação. Deixar potes de água fresca espalhados pela casa faz com que o animal se hidrate mais, pois sempre terá água por perto. Adicionar pedras de gelo na água ajudam a mantê-la fresca por mais tempo.

Por último mas não menos importante, pelo contrário, vale lembrar que para viajar com um pet através de uma empresa aérea ou rodoviária é preciso que o animal esteja dentro de uma caixa de transporte adequada. Então programe-se para comprar ou alugar uma caixa transportadora alguns dias antes da viagem.



Viagem realizada! Voltamos para casa, e agora?

Após a viagem, fique atento ao comportamento do pet. Se ele apresentar algum comportamento fora do normal, procure um veterinário para checar se há algo errado com ele. Aliás, como dito no primeiro parágrafo, o melhor remédio é a prevenção!