Não é difícil ouvir histórias de tutores desesperados por cães que possuem o hábito de comer fezes, sejam as próprias ou de outros animais.

O nome desse comportamento se chama coprofagia. Mas você sabia que isso pode ser um indicador de que a saúde do seu pet pode não estar tão boa quanto parece?



O que é, e o que indica?

Como dito anteriormente, se resume ao consumo de fezes. Desde já, vale lembrar que é fundamental a busca por ajuda veterinária, visto que esse hábito traz consequências que veremos ao longo do artigo.

Além de nada apetitoso, a coprofagia pode ser provocada tanto por causas fisiológicas quanto comportamentais, e veremos algumas causas a seguir:

– Deficiências nutricionais: Animais que estão com déficit de nutrientes no corpo tendem a recorrer a coprofagia como uma alternativa para obter os nutrientes que estão faltando. Isso é bastante comum em animais que estão com dietas controladas, visando o emagrecimento, e ocorrem por conta da mudança nutricional.

– Necessidade de atenção: Cães que passam muito tempo confinados ou longe de seus tutores podem comer as próprias fezes como uma forma de atrair a atenção para ele, por conta do stress. Vale lembrar que quando há mais de um pet no local, a probabilidade dessa situação ocorrer aumenta consideravelmente, visto que pode ocorrer uma competição.

– Desejo de manter o ambiente limpo: No caso de cadelas que estejam no período pós-parto, a coprofagia pode ser vista como uma forma de higienizar o local, pensando no bem dos próprios filhotes.

– Problemas para absorver nutrientes: Caso não tenha ocorrido nenhuma mudança no dieta do seu pet, uma das possibilidades que estejam levando-o a recorrer por esse hábito nada apetitoso é algum problema no sistema digestório do pet que esteja diminuindo a capacidade de absorção dos nutrientes presentes na ração, como baixa produção de enzimas digestivas.

Importante ressaltar novamente a necessidade da busca por ajuda médica se observar o consumo de fezes pelo seu pet, pois além de indicar problemas gastrointestinais, também aumentam a probabilidade de desenvolver doenças como giardíase e verminoses.



A coprofagia possui relação com raças?

Ainda não há nenhum estudo concluído sobre isso, mas animais de raças menores, como Shih tzu, Yorkshire e Spitz Alemão, tendem a ter essa prática com mais recorrência se comparados a raças maiores.

Mas ainda assim, vale ressaltar que cães de grande porte e até mesmo felinos também podem apresentar esse comportamento.

 

O que devo fazer para que o meu pet pare com esse hábito?

Como dito, a coprofagia pode ser provocada por diversos fatores, sejam eles comportamentais ou fisiológicos. Portanto, a identificação do hábito e a busca por um veterinário para investigar as causas é o primeiro passo.

Em paralelo, existem alguns pontos que podem auxiliar o seu pet a abandonar esse costume, como buscar uma ração de melhor qualidade e mais balanceada. Se buscar por uma alimentação natural, entre em contato com algum nutricionista para que o profissional possa desenhar a dieta ideal para o seu pet, de acordo com o biotipo dele.

Lembre-se de não reagir de forma negativa após o pet ter feito as necessidades no local errado, visto que isso pode fazer com que o animal sinta a necessidade de “remover” as fezes antes mesmo delas serem vistas, o que pode acabar intensificando a coprofagia. Ao invés de repudiá-lo quando errar o local das necessidades, colete as fezes o quanto antes, de preferência fora do alcance visual do pet, e parabenize-o quando as necessidades forem feitas no local correto.