A substituição de ração por alimentos naturais vem se tornando cada vez mais comum na vida dos pais de pets. Porém, é preciso se atentar a alguns pontos, que veremos a seguir.

 

O pet pode comer as mesmas refeições que eu?

A resposta é não. Nas receitas feitas para humano a utilização de alguns ingredientes como alho e cebola é bastante comum. Porém, quando o assunto é o organismo dos pets, o que não é tóxico para nós, pode se tornar um verdadeiro veneno para eles.

O alho é considerado um ingrediente altamente perigoso para os cães, isso se dá por conta de algumas substâncias que não conseguem ser metabolizadas da forma correta no organismo do animal. Casos de anemia podem ser ocasionados por conta do consumo frequente de alimentos preparados com alho.

Se ocorrer do seu pet ingerir alho ou qualquer alimento nocivo à saúde dele, o primeiro passo é manter a calma e observá-lo para ver se ele apresenta algum sintoma, e tentar identificar a quantidade ingerida. Sintomas comuns ocasionados pela ingestão de alho são diarréia, vômitos e apatias em casos leves, e salivação excessiva e elevação na frequência respiratória em casos mais graves. Ao primeiro sinal dos sintomas, é recomendado que haja um acompanhamento médico.

 

Posso dar frutas ao meu pet?

Embora dar uma fruta ao seu pet durante o verão pareça ser uma ótima e refrescante ideia, é preciso se atentar. Algumas frutas são prejudiciais ao seu amigo de quatro patas, visto que eles possuem uma tolerância alimentar bem menor se comparado aos humanos.

A uva é um exemplo de fruta que pode parecer inofensiva, mas que é bastante perigosa para os animais. Se ingerida com frequência, a fruta faz com que o animal fique mais propício ao desenvolvimento de doenças renais, vômitos frequentes e dor abdominal.

 

Posso dar chocolate para o amigo de quatro patas?

Em período de Páscoa, é bastante comum encontrar casos de intoxicação alimentar em pets por conta do consumo de chocolate, mas qual será a razão dessa recorrência?

No cacau há algumas substâncias tóxicas para o animal, e uma delas é a teobromina, que é proporcional a quantidade de cacau presente no chocolate. Quanto mais cacau, mais teobromina, e quanto mais teobromina, mais perigoso para o animal. Isso ocorre por conta da dificuldade do fígado dos cães e gatos para metabolizar a substância em questão.

A ingestão de chocolate pode provocar sintomas como micção em excesso, elevação da temperatura corporal, respiração acelerada, taquicardia, vômitos e diarreia, e até mesmo levar a óbito. Vale lembrar que a gravidade dos sintomas é proporcional a quantidade ingerida.



Conclusão

Caso esteja cogitando alimentar o seu pet de forma mais saudável, é essencial que você converse com a/o veterinária(o) responsável do seu pet, para esclarecer quaisquer dúvidas a respeito da saúde do seu pet. Assim, você saberá como fazer algo que de fato seja saudável para o seu amigo de quatro patas.